Aumento de 50% do Salário Mínimo nos Açores é uma marca do Partido Socialista, realçou Carlos Silva

PS Açores - 21 de outubro

Carlos Silva realçou que o Salário Mínimo nos Açores tem “aumentado substancialmente desde 2015 devido à governação do PS na República”, salientando que em 2015 o Salário Mínimo nos Açores nos Açores “era de 530,25€” e “em 2023 passará para 798€”.

“Estamos a falar de um aumento de mais de 50% em apenas 8 anos, é muito significativo, são mais 3.750€ por ano e isso são factos”, frisou.

O Vice-Presidente do GPPS falava na cidade da Horta, no debate de uma proposta do BE, que visava aumentar o acréscimo regional ao salário mínimo nacional dos atuais 5 para 7,5%.

Carlos Silva explicou que a proposta do BE “faria com que o Salário Mínimo nos Açores passasse para os 817€”, avançando que “isso representaria um aumento acima da inflação”.

O deputado considerou ser “importante que haja um aumento dos salários dos trabalhadores”, mas defendeu que isso deve ser feito “com responsabilidade, tendo em conta o impacto que isso traz para as empresas Açorianas e a sua competividade”.

O parlamentar do PS realçou a “importância da concertação social”, citando o “acordo histórico nacional que garantiu um real aumento para os trabalhadores”, salientando que isso “deve servir de exemplo ao Governo dos Açores”.

Carlos Silva acusou o Governo Regional de se encontrar “resignado na apresentação de medidas de apoio às famílias e às empresas”, sobretudo “nesta fase difícil, de crise inflacionista”.

“O PS/Açores não se demitiu das suas responsabilidades, tem apresentado medidas concretas de apoio às famílias e às empresas, como o tem demonstrado várias vezes ao longo dos últimos meses, sem nunca ter baixado os braços, ao contrário do Governo”, assegurou.

Carlos Silva evidenciou que este Governo “mudou o nome a alguns programas de emprego que já existiam”, exemplificando com o agora denominado ‘CONTRATAR’, que anteriormente se chamava ‘Emprego Laboral Permanente’, mas que, na prática “tem os mesmos objetivos”.

Sobre o programa ‘CONTRATAR’, o parlamentar denunciou “atrasos na análise de candidaturas” e, sobretudo, “no pagamento”, defendendo que o Governo seja “mais célere nos pagamentos”.

“A medida do BE seria interessante, mas representaria um impacto significativo nas empresas Açorianas, porque não teria medidas que compensassem este mesmo impacto. Para 2023 já existirá um aumento de quase 60€ mensais no Salário Mínimo nos Açores, o que representará mais 800€ no final do ano, um aumento de 7,8%. Este aumento resulta de políticas públicas nacionais de apoio ao emprego e à competitividade empresarial, desenvolvidas com responsabilidade e com rigor e com as quais o Governo dos Açores pode e deve aprender”, finalizou o deputado socialista, Carlos Silva.