Inércia do Governo Regional prejudica transporte de mercadorias para ilha das Flores, denuncia José Eduardo

PS Açores - 1 de julho

O Grupo Parlamentar do PS alertou, esta sexta-feira, para a irregularidade no transporte marítimo de mercadorias para a ilha das Flores.

O deputado do PS, José Eduardo refere que: “São por demais os sucessivos atrasos e atropelos que o transporte marítimo de mercadorias, para a ilha das Flores, tem sofrido nos últimos meses”, adiantando ainda que é “incompreensível” que isso aconteça quando existe um navio fretado e contratado exclusivamente para o abastecimento daquela ilha.

Esta semana o navio “Karoline” deveria atracar na ilha das Flores na passada quinta-feira, fazendo a sua operação de descarga no dia de hoje (sexta-feira), por forma a permitir o normal abastecimento da ilha, o que não se efetuou e apenas se prevê que chegue às Flores na próxima segunda-feira.

Refere o Deputado que “são já vezes sem conta que tal acontece e as desculpas encontradas para justificar de cada vez que tal acontece, já não garantem confiança neste Governo, ainda para mais quando defende um tratamento igual para todas as Ilhas dos Açores, mas na realidade verificamos que uns são filhos e outros enteados.”

“A situação recorrente de atrasos no abastecimento à ilha coloca graves constrangimentos aos empresários de todos os setores de atividade, desde a construção, comércio, serviços, hotelaria, turismo, bem como a toda a população”, refere o Deputado.

“Estas situações de imprevisibilidade e irregularidade são difíceis de aceitar e justificar quando as condições de mar são boas”, o que denota falta de vontade política do Governo em resolver os problemas das Flores e garantir uma operação de transporte marítimo com a previsibilidade que a ilha merece, de 15 em 15 dias, pois esta a única fonte de abastecimento marítimo à ilha.

José Eduardo frisou que, pela inércia e falta de proatividade deste Governo, “ficaram os Florentinos, mais uma vez, afetados com a trapalhada que tem sido o transporte marítimo de mercadorias para a ilha”, um facto “agravado, muitas vezes, pela ausência de qualquer comunicação desta situação aos empresários Florentinos que, sem nada saber, fazem as suas encomendas, que ficam no Porto de Ponta Delgada, a aguardar transporte para as Flores”.

“O que o Governo Regional deve perceber é que situações deste género, que se têm repetido no último ano e meio, não são meros transtornos. Representam escassez de alguns produtos, prejuízos para os nossos empresários e ataques à qualidade de vida na ilha das Flores. Impõe-se que o Governo trate os Florentinos com respeito e como Açorianos de pleno direito, iguais aos das outras ilhas”, finalizou o parlamentar do PS, José Eduardo.