Contas da SATA têm-se agravado de forma dramática na vigência deste Governo, realça Vasco Cordeiro

PS Açores - 11 de maio

Vasco Cordeiro salientou, esta quarta-feira, que as contas do Grupo SATA se têm “agravado de forma dramática” desde que o Governo de coligação entrou em funções.

Vasco Cordeiro, que falava na cidade da Horta, sublinhou que “à semelhança do que acontece em termos gerais com os destinos desta Região, este Governo e esta maioria gere estes assuntos numa lógica de acerto de contas com o passado e não em função do futuro da Região”, o que considerou “um mau princípio”.

“Este Governo não está a fazer igual. Está a fazer muito pior do que alguma vez os Governos do PS fizeram na gestão do Grupo SATA”, salientou.

O parlamentar socialista frisou que os subsídios à exploração da SATA mais do que duplicaram entre setembro de 2020 e setembro de 2021, “passando de 20 para 51 milhões de euros” e que o “resultado da SATA, sem subsídios, foi de 80 milhões de euros negativos em setembro de 2020, agravando-se para mais de 90 milhões de euros, em setembro de 2021”.

Outro número considerado preocupante por Vasco Cordeiro foi o aumento da dívida a fornecedores que “em setembro de 2020 era de 47 milhões e em setembro de 2021 ultrapassou os 55 milhões de euros”.

“O passivo total da SATA passou de 638 milhões em 2020 para 989 milhões de euros em 2021”, destacou Vasco Cordeiro.

O líder parlamentar do PS denunciou, ainda, a falta de transparência do Governo de Bolieiro.

“Este Governo de coligação é menos transparente, mais opaco do que aquilo que alguma vez poderiam ter sido os Governos do PS. Os senhores, que arvoram a transparência e a centralidade deste parlamento, têm desde finais de março, em falta para com este mesmo parlamento, a obrigação legal de enviar os Planos e Orçamentos da SATA, da Ilhas de Valor e dos três hospitais da Região”, lamentou Vasco Cordeiro.

 

Governo dos Açores deixou de prestar contas ao Parlamento sobre a SATA, sublinha Andreia Cardoso

Andreia Cardoso, que intervinha no mesmo debate, salientou também a que o Governo de coligação deixou de prestar contas ao Parlamento sobre a SATA, uma vez que não são conhecidas as contas totais do ano 2021, que só foram divulgadas até ao 3º trimestre. Da mesma forma, o Governo nunca divulgou o plano de restruturação da SATA.

A parlamentar socialista apontou que, pelo que se sabe, “há uma acentuada degradação da situação financeira da SATA, com 60% desta degradação a ter origem na SATA Air Açores”, aspeto que o Governo “deve explicar”.

“Nós não conhecemos o plano de reestruturação da SATA e queremos saber em que é que ele consiste. Tivemos o compromisso do Presidente do Governo de que esse plano iria ser disponibilizado aos líderes dos partidos com assento no Parlamento, um compromisso com mais de um ano. Este alegado plano de reestruturação deve ser conhecido de todos, porque nós não conhecemos o que é que o Governo dos Açores pretende da SATA e é fundamental esclarecer os Açorianos. Até porque há deputados com acordo de incidência parlamentar que demitem secretários e que fecham empresas”, finalizou a deputada socialista, Andreia Cardoso.