É lamentável que o PSD tente atirar areia para os olhos dos Açorianos na gestão da crise pandémica, afirma Tiago Lopes

PS Açores - 10 de agosto

“É lamentável e inacreditável que o PSD procure atirar areia para os olhos dos Açorianos para tentar disfarçar a gestão desastrosa que o seu Governo Regional tem feito da crise pandémica nos Açores”, afirmou hoje Tiago Lopes.

O deputado do PS reagia assim às declarações falsas da deputada do PSD/A, Ana Quental, que “procurou lançar a ideia de que o PS defendia medidas mais restritivas para os Açorianos, quando isso não corresponde à verdade!”.

“O Partido Socialista nunca defendeu mais restrições, apenas salientou factos e talvez seja isso mesmo que incomoda o PSD, porque realça a sua péssima gestão desta crise pandémica, em toda a linha”, frisou.

Tiago Lopes lamentou que o PSD/Açores “nada tenha dito sobre a demissão de Gustavo Tato Borges de Presidente da Comissão de Acompanhamento da Luta Contra a Pandemia nos Açores”, nem sobre “como fica a gestão da pandemia, agora que perdeu o seu suporte técnico”.

“Haverá substituto? Outro dos membros da referida Comissão assumirá a liderança? A Comissão será dissolvida? E no entretanto, como serão tomadas as decisões diárias? Serão decisões políticas e não técnicas? Quem protegerá e quem tranquilizará os Açorianos?”, questionou o deputado socialista.

Tiago Lopes lamentou ainda que o PSD/Açores tenha perdido a oportunidade para se pronunciar sobre a nova matriz de risco criada por este Governo que “fará depender as medidas do número de óbitos ocorridos numa semana”.

O deputado do PS reiterou que a vida humana “deve ser sempre salvaguardada por um Governo” e que este “não pode alicerçar a sua ação no número de mortes quando as pode e deve evitar”, criticando ainda a abolição de testes ao sexto dia, “um dos principais mecanismos de monitorização e controlo da propagação do vírus”.

Para Tiago Lopes, o Governo Regional, “tendo vacinas disponíveis como diz que tem”, já deveria ter considerado a vacinação das crianças e jovens acima dos 12 anos, tal como hoje recomendado pela DGS, uma vez que o “arranque do próximo ano letivo se aproxima a passos largos”.

“Sobre os assuntos que verdadeiramente interessam aos Açorianos, o maior partido da coligação, que sustenta este Governo Regional, nada diz. Nada diz porque não quer, porque não sabe ou porque reconhece que o PS/A tem razão", finalizou o deputado socialista, Tiago Lopes.