As filarmónicas da ilha são uma mais-valia que deve ser apoiada, respeitada e aplaudida

PS Açores - 14 de outubro

“As filarmónicas fomentam o enorme talento que existe em muitos terceirenses desde tenra idade e expressam uma riqueza cultural única e muito característica da nossa maneira de ser”, declarou Paulo Fagundes, à margem da visita efetuada quinta-feira à Sociedade Filarmónica Rainha Santa Isabel, da freguesia das Dozes Ribeiras.

Candidato do PS Terceira às eleições legislativas do próximo dia 25, Paulo Fagundes fez-se acompanhar dos também candidatos Isabel Quinto e Anselmo Pires e lembrou que “as filarmónicas são uma valência que continua a ser, naturalmente, potenciada por diferentes mecanismos de ajuda, na região do país com mais bandas per capita.”

“Os apoios contaram com a criação e atribuição do SOREFIL – Programa Regional de Apoio às Sociedades Recreativas e Filarmónicas da Região Autónoma dos Açores, que contribuiu para o esforço de mudança levado a cabo por parte de dirigentes e membros e que é visível nas melhorias a nível do fardamento, dos instrumentos e do repertório”, especificou Paulo Fagundes.

Por seu lado, após visita à Filarmónica União Praiense, na Praia da Vitória, o candidato Rodolfo Fanca confirmou que “o SOREFIL reforça a importância e o papel das filarmónicas ao estabelecer um limite anual de instrumentos a apoiar para conservação, manutenção e reparação, e ao alterar a percentagem a atribuir, passando os apoios a conceder a 50% dos encargos previstos, facilitando-se, também, o acesso das entidades candidatas.”

Acompanhado pelas também candidatas Maura Aguiar e Isabel Quinto, Rodolfo Fanca adiantou que o Partido Socialista “considera imprescindível promover formação qualificada para as filarmónicas da Ilha Terceira, apoiar a participação de sociedades filarmónicas em festivais que representem os Açores, e, sobretudo, ajudá-las a ultrapassar o período da COVID-19.”

“Pela sua função cultural, social e religiosa e pelo envolvimento dos jovens da ilha numa valência que lhes permite produzir, criar e tocar música, as filarmónicas da ilha são uma mais-valia que deve ser apoiada, respeitada e aplaudida”, concluiu o candidato socialista.