Nem os voos extraordinários permitiram equiparar os números de 2019

PS Açores - 18 de setembro

O Partido Socialista de Santa Maria lamenta que a Comissão Política de Ilha do PSD tente, uma vez mais, iludir os Marienses “com números que na prática não correspondem à verdade”, considerando a esse propósito “ser falso o argumento de que o crescimento do turismo na ilha, durante os meses de verão, se ficou a dever ao aumento do número de voos”.

Segundo Joana Pombo, membro do PS/Santa Maria, “este foi, de facto, um ano em que o turismo cresceu na Região e, por essa via, também na ilha, mas fruto de uma tendência mundial na qual os Açores e Santa Maria, pelas suas especificidades, não foram exceção”. Contudo, e conforme realçou, “o modelo de transportes escolhido por este Governo continua a prejudicar Santa Maria, sendo que os números divulgados pelo Serviço Regional de Estatística dos Açores (SREA) desmentem o que tem sido dito até agora”.

“Comparativamente a 2019, de janeiro a agosto, tivemos menos 2.768 pessoas desembarcadas em Santa Maria, sendo que só no mês de agosto foram menos 1.929 pessoas na ilha”, referiu.

Lembrando os constrangimentos causados na política de transportes do Governo Regional, sobretudo à ilha, Joana Pombo reafirma que esta “fomenta uma política de descontinuidade de um arquipélago que já se encontra separado por mar”.

Assim, e reafirmando o que o Partido Socialista já havia alertado, “essa política de transportes resultou em graves constrangimentos, desde logo, para as associações da ilha”, devido aos aumentos de custos, uma vez que foi necessário mais tempo de permanência de material alugado pelas associações.

“Se houvesse transporte marítimo de passageiros e de mercadorias, as associações sem fins lucrativos não teriam de teriam de aguardar tanto tempo”, frisou a socialista, para salientar que esse aumento não se traduziu num acréscimo de apoio por parte do Governo Regional, o que resultou num aumento de encargos financeiros para associações.

Já em relação ao plano de voos inicialmente oferecido aos Marienses, Joana Pombo refere que, ao contrário dos quatro voos diários apregoados, importa lembrar “que um deles se encontrava bloqueado para reservas, sendo que nesses dias apenas havia disponível um Dash 200 com apenas mais 37 lugares do que em dia de escala de inverno” e que mesmo após varias insistências das associações ou clubes organizadores de eventos, em relação a voos extraordinários, estes, muitas das vezes “foram criados em dias que em nada favoreciam a vinda atempada de pessoas para os eventos, demonstrando assim a falta de organização e plano para fazer face às necessidades da ilha”.

Quanto às dormidas registadas, Joana Pombo assegura que “os dados do Serviço de estatística não mentem”, verificando-se que, em julho de 2022, houve apenas “mais 130 dormidas do que em 2019, registando um crescimento apenas de 1,5%”.

“O PSD tenta iludir, mais uma vez, os Marienses, ao afirmar que o aumento do turismo se traduziu com o aumento de voos. Não é verdade, registamos um aumento de visitação à ilha apenas no mês de maio, com um crescimento de 20.83%, onde não havia voos extraordinários. Comparativamente a 2019, tivemos sim, menos pessoas desembarcadas”, assegurou Joana Pombo, membro do PS/Santa Maria.