Vasco Cordeiro elenca desafios a curto e médio longo prazo com que a Região está confrontada

PS Açores - 11 de setembro

O Partido Socialista dos Açores promoveu mais uma sessão da iniciativa “Construir o Futuro - Que Açores Queremos?”. O ciclo de encontros que ao longo dos próximos meses irá percorrer todas as ilhas da Região, e na qual o Presidente do PS/Açores reunirá com simpatizantes e militantes do partido, ocorreu no concelho da Povoação, este sábado.

Na ocasião, Vasco Cordeiro procedeu a uma análise do atual momento que vivem os Açores, apontando um conjunto de desafios a curto e médio longo prazo como mote para um debate construtivo sobre os caminhos e propostas para o futuro da Região.

No evento, que reuniu militantes e simpatizantes dos concelhos da Povoação e Nordeste e que foi organizado pela estrutura partidária de S. Miguel, Vasco Cordeiro apontou como desafio imediato, as dificuldades que as famílias e empresas Açorianas estão a enfrentar, fruto do atual contexto, defendendo, nesse sentido, a necessidade de o Governo Regional tomar medidas que possam complementar as já anunciadas pelo Governo da República, por exemplo, seja “ao nível de baixar o imposto sobre o combustível, intervindo no apoio às rendas, no domínio dos empréstimos à habitação, na ajuda às despesas com as escolas, seja cá nos Açores, seja no caso das famílias que têm filhos a estudar fora da sua ilha ou no Continente”.

Mas, de acordo com o líder socialista, a razão pela qual o atual Governo não está a trabalhar nesse sentido, deve-se, sobretudo, ao atual estado de degradação crescente das finanças públicas regionais, em que, “apesar de estar a ganhar mais dinheiro com impostos, este Governo Regional registou, em julho passado, o maior défice de sempre das contas regionais, desde que há registo”, explicou.

Na ocasião, e alertando ainda para um segundo desafio a curto prazo para a Região, Vasco Cordeiro apontou o problema da falta de mão-de-obra, para salientar a ausência do Governo nesta matéria.

“Este é um desafio que se sente e em relação ao qual, também aqui, o Governo está, pura e simplesmente, ausente. Se queremos começar por atender a esta situação, não se pode fazer aquilo que está a ser feito neste momento, porque corremos o risco de entrar numa espiral em que as consequências sejam muito maiores”, referiu o Presidente do PS/Açores, para sublinhar haver iniciativas que podem ser tomadas no sentido de “melhorar o rendimento das empresas, para levá-las a pagar mais, mas há, também, questões de formação. Tudo isto são medidas possíveis e que tem de ser tomadas”, defendeu o socialista, para alertar para demora do executivo “em tomar medidas e isso pode condicionar o nosso futuro”.

No âmbito dos desafios a longo médio prazo, o líder socialista referiu, entre outros, os desafios da demografia, da sustentabilidade da Autonomia e o desafio da coesão económica social e territorial da Região.

A sessão iniciou-se com uma intervenção do Secretário Coordenador de Ilha, André Rodrigues, que relembrou a importância da proximidade do partido às pessoas, apelando, por isso, à participação e reflexão conjunta, sobretudo face ao atual contexto de maior dificuldade para o país e a Região. Quanto ao Futuro, André Rodrigues destacou três prioridades: a fixação de jovens, a melhoria do saldo demográfico e a necessidade de, nas próximas duas décadas, se aumentar progressivamente o PIB dos Açores “e trabalhar para que este possa ser, por via da qualificação, da aposta no conhecimento e da abertura de novas fileiras económicas, mais bem distribuído, permitindo ganhos de eficiência, de eficácia, distribuição de riqueza e sustentabilidade social, que irão alavancar o futuro da Região”.

Na ocasião, André Rodrigues sublinhou, ainda, a necessidade de a Região não concentrar todos os esforços apenas numa fileira económica, como atualmente o turismo é exemplo, “é preciso, isso sim, acrescentar qualificação, conhecimento e abrir novas áreas económicas para o futuro”.

Intervindo igualmente na iniciativa “Construir o Futuro – Que Açores Queremos?”, o Presidente da Câmara Municipal da Povoação e secretário coordenador da secção do PS, Pedro Melo, destacou as áreas do emprego, da educação, da habitação para jovens e o apoio aos mais vulneráveis, como bandeiras a seguir no futuro, com vista a um verdadeiro desenvolvimento dos Açores.

Manter e reforçar o contacto com os militantes e simpatizantes do PS/Açores, ouvi-los sobre as respostas para os desafios atuais e futuros dos Açores e partilhar informações sobre a atuação presente e futura do Partido Socialista são os objetivos de uma série de encontros que o Presidente do PS/Açores, Vasco Cordeiro, promove ao longo dos próximos meses, em articulação com as estruturas locais e de todas as ilhas da Região.