Nascimento Cabral deve explicações aos cidadãos de Ponta Delgada

PS Açores - 4 de agosto

Foi com total estupefação que o PS de Ponta Delgada acompanhou as mais recentes notícias relativas à obra de requalificação no Mercado Municipal de Ponta Delgada – o conhecido Mercado da Graça. O modo como o Presidente da edilidade tem gerido esta situação é revelador de impreparação e incompetência. 

“Pedro Nascimento Cabral faltou à verdade. Em primeiro lugar, mentiu quando foi confrontado com o facto de a obra ter sido iniciada sem o projeto de segurança contra incêndios, o qual é obrigatório por lei, e respondeu que foi surpreendido por este facto. Ora, a verdade é que o Serviço Regional de Proteção Civil esclareceu que a autarquia foi notificada já em janeiro deste ano e, por isso, Nascimento Cabral não pode alegar surpresa ou desconhecimento”, afirmou Humberto Bettencourt, membro do Secretariado do PS de Ponta Delgada. 

Para o socialista, “mais grave ainda é o Presidente da Câmara Municipal ter faltado novamente à verdade quando, numa tentativa de desresponsabilização, emitiu um comunicado no qual afirmava ter havido “uma incompreensível urgência colocada na decisão a execução destas obras pelo anterior executivo camarário”. 

Para o PS de Ponta Delgada, estas declarações são reveladoras de “desespero político” por parte de um Presidente de Câmara que, “apanhado numa situação de flagrante irresponsabilidade e impreparação não hesita em atirar para a fogueira o anterior executivo camarário, por sinal, presidido pela atual Presidente da Assembleia Municipal”, lembrou Humberto Bettencourt. 

O PS de Ponta Delgada não pode, por isso, compactuar com o clima de guerra civil que Nascimento Cabral, com as suas “declarações incendiárias” quer instalar na autarquia de Ponta Delgada, ao tentar culpar Maria José Duarte e Alexandra Viveiros (respetivamente Presidente e vereadora do anterior executivo camarário do PSD) por uma situação pela qual o atual executivo é o único responsável. 

Para o PS de Ponta Delgada, o atual Presidente da autarquia tem demonstrado tiques no exercício do poder que são manifestamente preocupantes. Já antes, no Natal, Nascimento Cabral interditou a Praça do Município ao trânsito garantindo que seria temporário para, depois, dar o dito pelo não dito e transformar o que era temporário numa decisão permanente. Agora, foge às suas responsabilidades e tenta culpar terceiros num lamentável e pouco edificante episódio de falta de maturidade política. 

“Os cidadãos de Ponta Delgada precisam de um executivo camarário responsável e competente e não de quem, pelos vistos, vê a Câmara Municipal de modo utilitário, como um trampolim político para alimentar ambições pessoais com vista a outros voos e outros poleiros”, criticou Humberto Bettencourt.