Este Governo está a deixar o combate às toxicodependências nos Açores para trás, alerta Célia Pereira

PS Açores - 12 de julho

O PS apresentou, esta segunda-feira, um projeto de resolução que recomenda ao Governo Regional que reforce a sua ação na área da prevenção e combate às dependências, para que os Açores não fiquem para trás também nesta área.

A apresentação da iniciativa coube à deputada socialista Célia Pereira, que falava à saída de uma reunião com a associação Novo Dia.

Célia Pereira realçou que, se o PS fosse Governo, a problemática das dependências nos Açores “regressaria urgentemente às prioridades do Governo Regional, ao contrário daquilo que está a fazer o Governo da direita, que parece tê-la esquecido”.

A parlamentar socialista manifestou a sua “preocupação com o aumento nos consumos de novas substâncias psicoativas” e lembrou que se o PS fosse Governo “reforçaria quer a prevenção, quer o trabalho de afastar os jovens do consumo de substâncias, encaminhando-os para o tratamento de desabituação, para que possam ser reintegrados na sociedade e recomeçar as suas vidas”.

“É imperativo agir de forma estratégica e concertada, reforçando o desenvolvimento das respostas mais imediatas e atuantes na prevenção e combate às dependências”, sublinhou a socialista.

Célia Pereira recordou que o Governo regional suportado pelo PS “sempre garantiu o acesso a tratamento a todos os cidadãos toxicodependentes, tendo sido, na última legislatura, entre 2016 e 2020, atendidos todos os pedidos de reencaminhamento para tratamento em Unidades Terapêuticas, num processo célere e sem compassos de espera. Nesta legislatura, chegam-nos informações de que existe nos Açores uma lista de espera para tratamentos de cidadãos toxicodependentes em comunidades terapêuticas, ou seja, os doentes que, por iniciativa própria, se queiram tratar e tenham critérios para ser referenciados para comunidades terapêuticas, não estão a ser encaminhados por falta de financiamento”, lamentou a deputada.

Célia Pereira avançou que os socialistas recomendam ao Governo que “reponha de imediato todos os encaminhamentos necessários para tratamento de cidadãos toxicodependentes, residentes na Região, em unidades terapêuticas, terminando com as listas de espera existentes para esse efeito”.

Para o PS, continuou, o Governo Regional deve “promover o aumento das respostas para encaminhamento de doentes com duplo diagnóstico (pacientes de saúde mental e consumo de substâncias), que necessitam de uma resposta de longa duração”.

O Partido Socialista dos Açores defende, ainda, que o Governo deve implementar, até ao final do ano, “programas de tratamento de duplo diagnóstico para jovens dos 14 aos 30, tal como estava previsto no caderno de encargos do Centro de Reabilitação Juvenil dos Açores”.

“Queremos que o Governo retome, no início do próximo ano letivo, a realização do inquérito às escolas e do relatório de atividades da saúde escolar, apresentando depois, a até ao final deste ano, um diagnóstico à saúde mental dos consumidores de rua não motivados para tratamento, os designados sem-abrigo. Este é um trabalho essencial, que deixou de ser feito por este Governo Regional e que deve voltar a ser feito o quanto antes”, finalizou a deputada do PS, Célia Pereira.