Governo Regional prepara-se para cortar projeto de reconstrução do Porto das Lajes das Flores, alerta José Eduardo

PS Açores - 11 de julho

O deputado José Eduardo alertou, esta segunda-feira que o Governo Regional se prepara para cortar no projeto de reconstrução do Porto das Lajes das Flores, destruído pelo furacão Lorenzo, classificando essa opção como “um monumental erro estratégico”.

Em visita ao local, o deputado do PS eleito pela ilha das Flores, alertou que “passados quase três anos desde o dia em que ocorreu a destruição daquele porto, e passados quase dois anos desde que este Governo tomou posse, os Florentinos continuam sem nada saber” salientando que “o Governo nada disse, nada fez, nada esclareceu sobre a evolução de uma obra que é vital para o grupo ocidental” e acrescentou que estas obras devem “receber um novo impulso, aproveitando o bom tempo e o estado do mar que a época que atravessamos proporcionam para este tipo de obras”.

O deputado do GPPS exigiu que o Governo apresente o quanto antes o projeto do molhe principal e que esclareça os Florentinos sobre a situação da obra em causa.

“Já questionámos o Governo, concretamente, o anterior Secretário Regional com a tutela, que à época anunciou que seriam retirados do anteprojeto alguns constrangimentos e ‘gorduras’”, adiantou José Eduardo, que defende não serem admissíveis cortes no projeto, que “devia ser desenvolvido a partir do estudo prévio apresentado e aprovado pela população e entidades da ilha”, uma vez que “já havia valores assegurados para isso, e não pode ser por incompetência deste Governo que as Flores e o grupo ocidental sejam prejudicados”.

José Eduardo desafiou o Governo a deslocar-se até aquela ilha, para “explicar aos Florentinos o ponto de situação da obra”, lamentando a “total ausência de informação por parte do Executivo sobre aquela que será a obra maior daquele complexo, o molhe principal, do qual ainda se desconhece o projeto”.

“O Governo Regional tem de prestar contas aos Florentinos sobre o estado da obra do Porto das Lajes das Flores”, nomeadamente no que diz respeito ao “andamento das obras de proteção de emergência, bem como da ponte cais”, frisou.

“Uma obra de tamanha importância deverá sempre ser consensualizada com os principais utilizadores daquele porto. É por isso que o Governo deve, no mínimo, auscultar os empresários, os comerciantes, as associações de pescadores e o clube naval, para que tenhamos uma obra que sirva todos os Florentinos de forma eficiente e não terminarmos estas obras com a necessidade de termos de fazer mais obras retificativas. A ilha das Flores não pode ficar para trás, algo que este Governo, infelizmente, está a fazer”, finalizou o deputado do PS, José Eduardo.