Deputados do PS acusam Governo Regional de deixar Santa Maria para trás nos transportes marítimos e aéreos

PS Açores - 8 de junho

Os deputados do PS eleitos pela ilha de Santa Maria, João Vasco Costa e Joana Pombo acusaram, esta quarta-feira, o Governo Regional de “estar a deixar Santa Maria para trás nos transportes marítimos e aéreos”.

Num requerimento entregue na Assembleia Regional, justamente sobre esta temática, os deputados socialistas marienses consideram que a “ausência de transporte marítimo de passageiros entre as ilhas de Santa Maria e de São Miguel”, e consequentemente ligação para os restantes grupos, “reduz a possibilidade de transporte interilhas” e “promove a desigualdade de oportunidades de transporte entre estas, descurando a Coesão Territorial”.

Joana Pombo manifestou a sua preocupação com a ausência de transporte marítimo de passageiros, que “resultará numa diminuição de público para os festivais e eventos de verão, organizados por Associações sem fins lucrativos de Santa Maria”.

A parlamentar Mariense realça, ainda, que a ausência de transporte marítimo de passageiros “elevará de forma insustentável os custos da organização destes festivais e eventos, devido à ausência de transporte de carga rodada”.

Joana Pombo exemplifica com o custo de transporte de equipamentos de som, que “era efetuado apenas quando necessário” e que agora “terá de ser transportado em carga contentorizada, aumentado o período de aluguer para quinze dias, com óbvios aumentos de custo para os organizadores”.

A deputada do PS denuncia, ainda, o “incumprimento que se tem verificado nos dias de toque do navio de transporte de mercadorias”, o que tem “provocado transtorno para a economia da ilha, extensível à organização destes eventos”.

Centrando-se nos transportes aéreos, João Vasco Costa alertou que “não se encontram ainda disponíveis para reserva os quatros voos anunciados de e para Santa Maria, em época alta”, existindo “apenas um terceiro voo, que, na maioria das vezes, é operado por um DASH 200, que disponibiliza apenas 37 lugares”.

O parlamentar do PS eleito por Santa Maria realçou que a Tarifa Açores “não suprime, de todo, a necessidade de transporte marítimo de passageiros e cargas” e salientou a “enorme discrepância da taxa extraordinária de carga aérea que, nas rotas entre Lisboa e Santa Maria (e também para o Pico e Faial) é de 61 cêntimos por kg”, enquanto que nas rotas entre Lisboa e São Miguel ou Terceira é de “apenas 35 cêntimos por kg”.

João Vasco Costa alertou, ainda, para as “dificuldades sentidas na marcação de passagens de grupos, por falta de lugares nos voos disponíveis”, assim como para os “valores exorbitantes das viagens entre Lisboa e Santa Maria e entre esta ilha e outros destinos”.

“Tudo isto terá consequências negativas para a economia Mariense, em particular para o sector do turismo que se preparava para um acréscimo neste ano” mas que vê as suas expectativas goradas, uma vez que “este Governo promove a desigualdade de acesso aos transportes em relação a outras ilhas e deixa, mais uma vez, a ilha de Santa Maria para trás”, lamentou o deputado do GPPS, João Vasco Costa.

No requerimento os deputados do PS questionam o Governo sobre disponibilidade de voos extra em época alta, discrepâncias de preço nas passagens e no transporte de cargas aéreas em relação a outras ilhas, sobre a possibilidade de assegurar o transporte de carga com um navio já disponível na Região para os eventos e festivais que se aproximam e se o Governo pensa compensar os organizadores destes eventos pelos custos acrescidos.