“Já tínhamos sinalizado a importância de introduzir nas Flores a produção em modo biológico, mas o Governo continua sem esclarecer o que pretende”, reitera José Gabriel Eduardo

PS Açores - 3 de maio

Já no âmbito da discussão e votação do Plano e Orçamento de 2021, o deputado do PS/Açores, eleito pelo círculo das Flores, questionou o Secretário Regional da Agricultura sobre a estratégia do executivo para a reconversão da produção para modo biológico. No entanto, nem no debate nem agora, diz José Gabriel Eduardo, o executivo esclarece “como pretende levar a cabo esta reconversão do modo de produção”.

“O Governo já anunciou a ambição de iniciar nas ilhas das Flores e do Corvo a reconversão para o modo de produção biológica, mas de que forma é que estas medidas vão implicar uma mudança de comportamentos e de rendimentos para os agricultores daquelas ilhas?”, questionou o deputado do PS/Açores.

“Não lhe parece que esta pode ser uma ambição pequenina, se atendermos à verba inscrita no Plano e Orçamento, de apenas 5 mil e 300 euros, para levar a cabo uma reconversão desta natureza?”, acrescentou.

José Gabriel Eduardo sublinha que “falar de futuro, implica falar destas matérias”. Defende que “a temática das alterações climáticas é, certamente, uma área transversal a todos os departamentos do Governo, sendo inegável que a indústria alimentar e a atividade agropecuária têm uma contribuição não negligenciável na crise climática”.

Nesse sentido, considera que “é necessário saber qual o plano de atuação do Governo nesta matéria. Como pretendem munir a indústria agropecuária açoriana com novas soluções tecnológicas, que reduzam a pegada ecológica dessa indústria? Quais as principais medidas a implementar no combate ao impacto das alterações climáticas na indústria e na agropecuária açoriana?”.