PSD demonstra impreparação típica de quem não sabe o que quer no transporte aéreo

PS Açores - 15 de outubro

É com preocupação que o PS/Flores encara as recentes declarações do líder do PSD/Açores relativas ao transporte aéreo inter-ilhas. Como se já não bastasse o facto de, em poucos meses, o PSD já ter tido várias posições, diferentes, sobre o modelo de transporte aéreo regional, dando nota, aliás, de incoerência e impreparação na definição de uma política adequada para o setor, agora apresenta uma proposta que faz com que os florentinos, por exemplo, acabem por pagar mais do que pagam atualmente, por exemplo, por uma passagem sem restrições Flores-Horta-Flores.

Primeiro, sem se perceber bem, nem como, nem a que propósito, o líder do PSD/Açores anunciou a criação de uma “tarifa promocional turística residentes”, ou seja, com restrições na reserva e no tempo, para o transporte aéreo inter-ilhas, ignorando, que a maior parte das tarifas “promocionais” praticada pela SATA apresenta, presentemente, um valor ao passageiro inferior ao proposto.   

Mais tarde, para tentar emendar a mão, em novas declarações, deixa cair as palavras “promocional”, “turística” e “residentes”, e opta por propor, uma “tarifa única” de 60 euros para toda a Região. Ora, tendo em conta que a tarifa, como todos sabem, por definição, não inclui as taxas no preço final, ou seja, ao preço apresentado da tarifa, acresce ainda o valor das taxas, o PSD/Açores revela, no mínimo, impreparação e inexperiência, atributos incompatíveis com a responsabilidade de governar a Região.

Pode muito bem o líder do PSD/Açores, mais uma vez, depois de ter sido confrontado com a situação, tentar disfarçar, tentar compor a situação, mas já não é a primeira vez que o PSD diz uma coisa e, pouco tempo depois, o seu contrário como se viu, recentemente, com a privatização da SATA, entre outras situações.  

Os tempos exigentes em que vivemos, e que irão demandar experiência e um profundo conhecimento da realidade da Região no seu todo, e de cada uma das nossas ilhas, em particular, - com especial atenção às ilhas da Coesão – não se compadecem com inconsistência, impreparação e incoerência.

É preciso que os Açorianos, e os Florentinos em particular, estejam atentos e não se deixem iludir por propostas que mais parecem aqueles contratos com letrinhas pequeninas, em que, no final, se paga mais do que se espera.

O PS/Flores tem confiança que os Açorianos, e os Florentinos em particular, saberão diferenciar quem está em melhores condições para, com experiência e conhecimento, continuar a governar os Açores, sobretudo nestes tempos exigentes, e a promover a coesão e o investimento público em todas as ilhas da nossa Região.