Vereadores do PS denunciam atrasos nas obras do Mercado da Graça cujo fim estava previsto para agosto próximo

PS Açores - 27 de julho

Os Vereadores do Partido Socialista à Câmara Municipal de Ponta Delgada manifestaram, esta quarta-feira, a sua preocupação com os atrasos verificados na execução das obras de remodelação do Mercado da Graça.

Para os socialistas eleitos à maior autarquia da Região, a suspensão dos trabalhos que ocorreu durante esta semana, nomeadamente com a retirada de máquinas do recinto, levará a que a sua conclusão se prolongue no tempo, continuando a afetar, negativamente, quer a vida dos comerciantes como daqueles que visitam o espaço, enquanto ponto de atração turística.

Salientando que este processo peca, desde o seu início, por falta de auscultação aos comerciantes do mercado e de debate e consulta pública aos utilizadores daquela estrutura, os socialistas destacaram, ainda, a precipitação por parte do anterior executivo camarário do PSD na adjudicação da obra, sem que se tenha acautelado todas as componentes técnicas necessárias neste tipo de processos, cujo projeto de arquitetura e funcional desta complexidade.

A este propósito, os Vereadores do PS sublinharam que a suspensão dos trabalhos fez ressaltar as falhas do projeto, que pecou por não ser estruturante, ao não envolver, por exemplo, a área adjacente onde funciona atualmente o parque de apoio e estacionamento.

Assim, e considerando que a suspensão da obra por falhas técnicas de elaboração do projeto indicia falta de acompanhamento da mesma pelo atual executivo camarário, os Vereadores socialistas alertaram para as dificuldades sentidas no aprovisionamento de materiais para que se possa dar seguimento aos trabalhos, considerando os contextos comerciais, nacionais e internacionais.

Para André Viveiros, Vereador do PS na autarquia, esta paragem da obra, por tempo ainda não definido, acarreta ainda maiores dificuldades e prejuízos para os comerciantes, “que tardam em ter as melhores condições para prosseguirem com a sua atividade naquele local”.

Os Vereadores do PS assinalaram, ainda, que, a não se concretizar a data prevista para a conclusão da obra já no próximo mês de agosto, o Mercado continuará a funcionar no parque de estacionamento e em condições precárias, tendo, também, como consequência “a retirada de estacionamento na cidade, nomeadamente aos clientes do comércio tradicional da baixa”.

Na ocasião, o socialista afirmou também que a ausência de um mercado municipal a funcionar em pleno “debilita a imagem da cidade, constrange a procura por produtos regionais e retira a possibilidade de visitação a um local característico de Ponta Delgada, que constitui um ponto de atração turística para quem visita a cidade”.

“De futuro deve ter-se mais cuidado e prestar um maior acompanhamento aos projetos e execução de obras importantes e estruturantes para a cidade e para o concelho, cujos processos construtivos nunca poderão ter esses desfechos”, defendeu, na ocasião, André Viveiros, Vereador do Partido Socialista.