PS quer que Governo explique fim do investimento no curso de programação do Terceira Tech Island

PS Açores - 3 de maio

O grupo parlamentar do PS na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores questionou, esta terça-feira, o Governo Regional sobre os motivos do fim do apoio ao curso de programação ministrado no Terceira Tech Island, adiantou Berto Messias.

O curso de programação, iniciado em 2017 e lecionado gratuitamente para os formandos pela empresa Academia de Código, tinha um apoio público de 6.000 euros por formando, tendo surgido como medida de mitigação do processo de downsizing na Base das Lajes, com o objetivo de captar empresas e trabalhadores qualificados para a ilha Terceira e para a Região.    
No requerimento socialista, assinado por Berto Messias e por todos os deputados do PS eleitos pela ilha Terceira, o PS pretende saber o que levou o Governo de Bolieiro a suspender o apoio público a esta formação e “qual o real compromisso do Governo em garantir a continuidade deste projeto, captando mais empresas e garantindo mais formação na ilha Terceira”.

“Queremos também averiguar quem deu indicação para solicitar aos formandos o valor de 6.000 euros para frequentar a formação da Academia de Código e porque razão é que os formandos foram informados da suspensão da formação a poucos dias do seu inicio”, explicou Messias.

O deputado do PS considerou “lastimável” que os novos formandos tenham sido informados do fim do apoio público a este curso a poucos dias do início do curso, tendo muitos deles se “despedido de posições que ocupavam, com a perspetiva abrirem novas oportunidades de emprego, com esta formação”.

"Isto é brincar com as pessoas e isso é inaceitável”, lamentou Berto Messias.  

Os socialistas questionam, ainda, “que contactos tem feito este Governo Regional, desde o início do seu mandato, para instalar mais empresas no Terceira Tech Island”.

"O que parece evidente, é que o Governo Regional está a desinvestir no projeto Terceira Tech Island, uma vez que em apenas 17 meses de exercício de funções deste executivo, o Terceira Tech Island já perdeu três empresas. Além disso, temos informação de algumas empresas que estavam interessadas em instalar-se mas, por falta de resposta e de interesse do Governo Regional, desistiram de integrar este projeto”, sublinhou o socialista.

"A falta de empenho do Governo Regional em dar continuidade e fazer crescer o Terceira Tech Island, bem como a inexistência de uma estrutura de acompanhamento permanente das empresas sedeadas na Praia da Vitória, criaram uma imagem de falta de credibilidade na gestão deste projeto, que pode hipotecar todos os ganhos conseguidos até ao momento”, alertou o deputado do PS, Berto Messias.