PS/Faial apela à testagem massiva dos alunos no Faial

PS Açores - 14 de janeiro

O Secretariado da ilha do Faial do Partido Socialista entende que a testagem massiva dos alunos devia estender-se também à ilha do Faial e a todos os níveis de ensino, discordando, assim, da opção do Governo Regional que, ao contrário do que tinha anunciado em dezembro último, decidiu agora testar apenas alguns alunos e em apenas duas ilhas.

O PS/Faial considera que a decisão do Governo Regional de testar  em massa os alunos do 1.º e 2.º ciclos das ilhas de S. Miguel e Terceira, considerando que estas são as únicas ilhas onde existe transmissão comunitária de COVID-19, não se justifica uma vez que, “se verifica o contínuo aumento de casos em todas as ilhas destacando-se, de forma preocupante, os números da ilha do Faial, quer em termos de casos ativos, quer em termos de números de internamentos”.

Adianta, ainda, que no dia 13 de janeiro, dia em que começou a testagem em massa nos alunos de São Miguel e Terceira, “o Faial apresentava um total de 253 casos ativos, correspondendo à ilha com maior número de incidências no total da população, quando comparado com as restantes ilhas do arquipélago”. A evolução, acrescenta, “tem sido crescente, também ao nível dos números de internamentos por COVID-19 que, em poucos dias, passou de 1 para 5 internamentos, sendo que 1 paciente está em cuidados intensivos”.

Tendo em conta, sublinham os socialistas do Faial, “que se verifica um número considerável de casos em sede de contexto escolar com várias turmas, de diversos níveis de ensino, em isolamento profilático, mesmo daqueles que têm o processo de vacinação completa, a testagem dos alunos do Faial é premente e justificada”.

Por isso é preciso reforçar a testagem no Faial, uma vez que, “apesar das iniciativas, de diferentes entidades públicas e particulares, para permitir o acesso à testagem, os números disponibilizados dizem-nos que não foi possível alcançar um número considerável da população”, como aconteceu, por exemplo, com a testagem massiva, promovida pelo Município da Horta e pela Unidade de Saúde da ilha do Faial, “que abrangeu, apenas, cerca de mil pessoas”.

“A não deteção atempada de situações de COVID, nomeadamente junto dos mais jovens, poderá conduzir à infecção de franjas da população mais vulneráveis”, realça o PS/Faial.

Este Secretariado defende, ainda, que o Governo Regional “deve promover, de forma mais empenhada e ativa, a sensibilização da população para o reforço de vacinação, para a vacinação das crianças entre os 5 e 11 anos de idade, para a importância da testagem e para as regras de higienização e utilização da máscara que, ainda para mais nesta fase da pandemia, são verdadeiramente essenciais para evitar os contágios” e considera que “não basta ter os meios se depois eles não chegam às pessoas”, sendo que “na fase em que estamos desta doença, mesmo com a diminuição do número de dias de isolamento, o crescimento exponencial de casos de COVID-19 poderá pôr em causa o normal funcionamento das empresas, das instituições e a normalidade, ou esta nova normalidade com que estamos confrontados desde março de 2020, da vida dos nossos concidadãos”.