PS/Corvo repudia alegada pressão a funcionário para que se cumpram promessas eleitorais

PS Açores - 28 de julho

O Partido Socialista do Corvo denunciou, esta quarta-feira, o ambiente de alegada pressão e de ameaça a que um funcionário da Lota da ilha está a ser alvo, condenando que em vésperas de eleições “se faça de tudo para garantir mais uma promessa eleitoral”.

Em causa, referem os Socialistas, está a pressão exercida pela Lotaçor, para que um funcionário possa requerer a sua reforma, deixando assim disponível uma vaga “que será ocupada por alguém a quem, a troco de um voto, se prometeu um trabalho nessa empresa”.

Apesar de apresentar idade para o poder fazer, o funcionário em questão ainda não submeteu o seu pedido de reforma por “se sentir bem a trabalhar e querer continuar enquanto for legalmente possível”.

“Não podemos, por isso, aceitar que a troco de se garantir mais um voto, se coloque em causa o trabalho e o empenho que este funcionário demonstrou ao longo dos anos em que se manteve ao serviço da empresa Lotaçor”, asseguraram os Socialistas, condenando ainda que a própria Presidente da empresa seja conivente com este tipo de ataque.

Os Socialistas do Corvo condenaram ainda a ameaça feita ao funcionário, no sentido de que “se não o fizesse, seria alvo de um processo disciplinar”.

“A pressão condenável a que este funcionário foi sujeito veio da parte da Presidente da Lotaçor”, afirmou o PS/Corvo, lamentando ainda que “quem se sujeita a cometer este tipo de pressão a um funcionário da empresa, seja também alvo de pressões no sentido de libertar o lugar, conforme assegurou em conversa direta com o funcionário”.

De acordo com o PS/Corvo, “não se pode eliminar pessoas, substituindo-as por outras, apenas e só, porque estão ligadas ao Partido Socialista. Os Corvinos em geral, e este funcionário em específico, merecem mais respeito e merecem mais atenção da parte de quem nos governa”. Para os Socialistas do Corvo “é ainda urgente que o Secretário da tutela possa vir esclarecer toda esta situação”.