PS/Faial condena desrespeito institucional e desconsideração para com os faialenses revelada pela oposição

PS Açores - 16 de outubro

O Grupo Municipal do Partido Socialista na Assembleia Municipal da Horta veio “manifestar o seu repúdio” pelo desrespeito institucional e pela “desconsideração para com a população faialense”, revelada pelos deputados do PSD, da CDU e o CDS, que integram a Comissão Especializada Permanente sobre Acessibilidades Aéreas e Marítimas.

“Infelizmente, instrumentalizam um órgão, como a Assembleia Municipal, para manipulação político partidária. Isso é insultuoso, desrespeitoso e nunca antes visto na democracia regional”, referiram os socialistas esta sexta-feira, em conferência de imprensa, onde repudiaram a forma como esses deputados tentaram “tirar partido de um órgão soberano, como a Assembleia Municipal, para tempo de antena partidário a uma semana das eleições regionais”.  

“Ignorando as regras básicas do funcionamento de uma Comissão desta natureza”, esses partidos trouxeram a público um relatório “cheio de lacunas, sem quaisquer conclusões, sem os contributos de quem foi auscultado na Comissão e sem ter sido analisado e discutido na Assembleia Municipal, revelando falta de ética, oportunismo partidário e desconsideração para com a população faialense”.

Para os socialistas, “são graves as insinuações que constam no referido relatório pretendendo, somente, desinformar e confundir a população faialense, desvirtuando os princípios que serviram de base para a aprovação, em sessão plenária da Assembleia Municipal da Horta, da constituição daquela Comissão”. Igualmente grave, acrescentam, “é o facto de não considerarem o atual cenário em que vivemos, ignorando por completo as implicações da pandemia da COVID-19 na sociedade, incluindo o setor dos transportes e das acessibilidades”.

Para o PS, não há dúvida de que “a única motivação, subjacente a esta iniciativa, é de cariz eleitoral! Ao contrário do esclarecimento e da defesa do bem-estar da população faialense, pretendem denegrir instituições e desrespeitar os contributos dos vários intervenientes na Comissão Especializada. Foi precisamente, por atitudes destas que, em novembro de 2019, o Grupo Municipal do Partido Socialista se demitiu desta Comissão, por discordar da forma como se pretendeu instrumentalizar um importante órgão autárquico, como é a Assembleia Municipal, e que hoje, infelizmente, reforçamos essa mesma convicção”.